O CGTI desenvolve projetos de Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação abrangendo toda a Cadeia da Inovação, de Pesquisas Básicas e Aplicadas a Inserção de Mercado do Produto ou Processo resultante.

Entende que para tanto uma equipe com Foco em Mercado deve planejar e realizar ações juntamente com a Pesquisa Tecnológica ocorrida, balizando e influenciando os caminhos que o desenvolvimento tecnológico deve priorizar, frente aos desafios colocados pelas necessidades dos contratantes, comercializadores e consumidores.

E assim tem como diretriz básica assumir apenas a execução de projetos que visam a futura inclusão da inovação no mercado, e geração de valor decorrente, contando com equipe experiente no alinhamento de financiamentos e parcerias ao longo do desenvolvimento para o sucesso final com o resultado disponível aos consumidores.

Vê como gargalo o tempo médio de desenvolvimento obtido no cenário nacional, sendo um impeditivo para o momento correto de introdução da inovação no mercado em muitos casos. Para superar mais este desafio o CGTI tem investido em seus processos de modo a criar simultaneidades nos desenvolvimentos, oferecendo a seus clientes formas variadas de financiamentos obtidos em parceria, objetivando a redução do tempo médio de seus desenvolvimentos para 3 anos, já com os processos fabris e comercialização das inovações estabelecidas.

Conheça as fases na Cadeia da Inovação.

Para visualizar o que abrange cada fase, selecione um item:

Pesquisa Básica Dirigida

Fase teórica ou experimental destinada à busca de conhecimento sobre novos fenômenos, com vistas ao desenvolvimento de produtos e processos inovadores. Envolve a análise de propriedades, estruturas e conexões para formular ou comprovar hipóteses, teorias e leis. Dentre outros, podem ser considerados os seguintes aspectos:

  • Investigação de materiais como supercondutores, novos isolantes e ferromagnéticos;
  • Síntese e caracterização de propriedades elétricas e morfológicas de polímeros condutores e luminescentes para aplicação tecnológica.

Pesquisa Aplicada

Fase destinada à aplicação de conhecimento adquirido, com vistas ao desenvolvimento ou aprimoramento de produtos e processos. Conduz à descoberta de aplicações do conhecimento advindo da pesquisa básica dirigida ou de novos métodos e maneiras de alcançar um objetivo específico. Envolve o conhecimento disponível e sua aplicação na busca de oportunidades ou na solução de problemas e desafios. Exemplos de atividades nesta fase são:

  • Desenvolvimento de equipamentos, componentes e sistemas utilizando, por exemplo, supercondutores, materiais ferromagnéticos e novos isolantes;
  • Desenvolvimento de projetos ou protótipos de novos equipamentos para ensaios;
  • Desenvolvimento de projetos ou protótipos que incorporem novas funções;
  • Desenvolvimento de modelos de funções ou de processos em sistemas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica;
  • Desenvolvimento de modelos digitais que representem situações reais.

Desenvolvimento Experimental

Fase sistemática delineada a partir de conhecimento pré-existente, visando à comprovação ou à demonstração da viabilidade técnica ou funcional de novos produtos, processos, sistemas e serviços ou, ainda, o aperfeiçoamento do já produzido ou estabelecido. É, portanto, o processo de transformação ou refinamento de conhecimento advindo da pesquisa básica ou aplicada em programas operacionais, incluindo projetos de demonstração e testes, para posterior aplicação comercial. São exemplos de atividades desta fase:

  • Desenvolvimento de software para aplicação no setor de energia elétrica;
  • Desenvolvimento de equipamentos (protótipos), processos e sistemas;
  • Aperfeiçoamentos graduais em produto, processo, ou serviço existentes;
  • Implantação de projeto-piloto de geração ou substituição de energia elétrica (célula combustível, eólica, biomassa, solar, etc.), que incorporem novos processos ou funções.

Cabeça-de-Série

Fase que considera aspectos relativos ao aperfeiçoamento de protótipo obtido em projeto de P&D anterior. Procura-se, assim, melhorar o desenho e as especificações do protótipo para eliminar peças e componentes com dificuldade de reprodução em larga escala. Definem-se também as características básicas da linha de produção e do produto.

Lote Pioneiro

Fase que considera aspectos relativos à produção em “escala piloto” de cabeça-de-série desenvolvido em projeto de P&D anterior. Nessa fase realiza-se uma primeira fabricação, em “escala piloto”, para ensaios de validação, análise de custos e refino do projeto, com vistas à produção industrial e/ou à comercialização.

Inserção no Mercado

Fase que encerra a cadeia da inovação e busca a difusão no setor elétrico dos resultados obtidos. São previstas as seguintes atividades: estudos mercadológicos, material de divulgação, registro de patentes, viagens, diárias e serviços jurídicos.

Ilustração da Cadeia de Inovação e seus Financiamentos
de acordo com o Centro de Gestão de Tecnologia e Inovação
Cadeia de Inovação