Com a experiência e know-how do corpo administrativo do CGTI acumulado em seus anos de atuação dentro das normas e exigências dos Programas de Pesquisa e Desenvolvimento Regulamentados por Órgãos Públicos, aliado a possibilidade de pagamento de Bolsas de Pesquisa aos pesquisadores dos projetos (com base na Lei 10.973/2004, Lei de Inovação) e apoiado na estrutura, na agilidade e na eficiência de uma instituição privada, o Centro de Gestão de Tecnologia e Inovação é referência em processos com qualidade de entrega.

Ocupando uma área total de 1.010 m², conta com uma moderna estrutura laboratorial para execução dos projetos de P&D, incluindo espaços de prototipagem e experimentos, conferindo flexibilidade e dinamicidade ao processo e possibilitando às equipes a montagem de estruturas temporárias para realização de testes, análises e provas de conceito necessárias à execução destes projetos.

Conta também com completa uma estrutura administrativa, conferindo o suporte necessário ao acompanhamento e gestão de projetos próprios e de seus parceiros, apresentando o Escritório de Gerenciamento de Projetos (PMO).

O CGTI estabeleceu e aprimorou uma série de ferramentas integradas utilizadas em todas as etapas do projeto, desde sua concepção até sua entrega, que o permite trabalhar com projetos de elevado risco com segurança e alto grau de sucesso. Com projetos em seu caderno onde o relacionamento de forma cooperada entre várias empresas financiadoras e executoras se faz necessário – envolvendo elevado número de stakeholders e proporcionando maior complexidade à gestão administrativa, financeira e documental considera ainda o ambiente regulatório em que o mesmo está inserido.

O elevado número de entidades envolvidas, a quantidade de interações, contratos e documentações que transitam entre os participantes acarreta diversos riscos de atrasos de cronograma, além de apresentarem naturezas jurídicas distintas, trazendo dificuldades de diálogo e entendimento entre os departamentos jurídicos dos envolvidos com necessidades distintas. A presença do CGTI nestes projetos reduz significativamente os riscos, uma vez que reduz a quantidade de interações e canais de comunicação, padroniza procedimentos administrativos e financeiros, centraliza a documentação contábil do projeto e, consequentemente, a prestação de contas dentro das normas e formatos exigidos pelas várias partes.

Com o mesmo foco dado aos processos de gestão, a Política de Propriedade Intelectual do CGTI constitui-se em facilitadora na questão dos Direitos de Propriedade Intelectual das instituições envolvidas, referentes aos produtos desenvolvidos.

As atividades de gestão de projeto incluem:

  • Estruturação de Propostas e Ideias Inovadoras: iniciando pela prospecção de necessidades mercadológicas e problemas técnicos/estratégicos enfrentados, levantamento de estado da arte sobre as tecnologias disponíveis, contato com especialistas e pesquisadores que atuam sobre o assunto, levantamento de limitações enfrentadas pelas financiadoras e levantamento de normas estabelecidas por órgãos reguladores, finalizando com a seleção de propostas com potencial de desenvolvimento e mercadológico;
  • Planejamento físico do projeto: definição de objetivos a serem alcançados, recursos e processos necessários e distribuição no tempo;
  • Planejamento financeiro do projeto: levantamento de valores dos recursos necessários, estabelecimento de dispêndio durante o tempo de projeto, levantamento de normas e regras para dispêndio e conformidade de documentação necessária aos órgãos reguladores;
  • Ajustes processuais para atendimento de contratos: negociação junto às financiadoras para estabelecimento do contorno dos projetos;
  • Definição de procedimentos padronizados: relacionados à gestão administrativa-financeira do projeto, como aquisições, reembolsos, contratações, ajustes no projeto, mudanças na equipe executora, dentre outros;
  • Definição e padronização de entrega de produtos (técnicos): relacionados à qualidade dos aspectos técnicos do projeto, como definição e distribuição de atividades e elaboração de relatórios técnicos e de atividades e dimensionamento dos atributos das entregas;
  • Gestão dos recursos financeiros do projeto: conforme valores previstos em contrato, que incluem pagamentos de bolsas de pesquisa aos pesquisadores, reembolso de despesas, aquisições de materiais, equipamentos, viagens e contratação dos serviços previstos;
  • Digitalização e arquivamento: de toda documentação técnica e administrativo-financeira relacionada ao projeto, que inclui contratos, relatórios técnicos e de atividades, comprovantes originais das despesas do projeto, solicitações de ajustes, ofícios de comunicação com as empresas cooperadas, atas de reunião, artigos, publicações, patentes e dissertações de mestrado e/ou teses de doutorado relacionadas ao projeto e qualquer outra documentação relacionada ao desenvolvimento do mesmo;
  • Reunião de início do projeto com as financiadoras: realizada para abordagem de todos os procedimentos relacionados à gestão e contrato do projeto, que deverão ser seguidos pelas entidades envolvidas durante o desenvolvimento do mesmo;
  • Reunião de início do projeto com a equipe executora: realizada para abordagem de todos os procedimentos relacionados à gestão e contrato do projeto, que deverão ser seguidos pelos pesquisadores e gestores do projeto durante o desenvolvimento do mesmo;
  • Reuniões mensais de acompanhamento: com a equipe do projeto, visando o alinhamento das demandas administrativas;
  • Reuniões semanais de acompanhamento técnico: com a equipe do projeto, visando o alinhamento das demandas técnicas;
  • Elaboração e atualização mensal dos relatórios de execução Financeira do Projeto: incluindo os valores do contrato e elaborados por empresa cooperada e por entidade executora;
  • Entrega de documentos finais do projeto: relatórios técnicos, relatório final, relatório final em formato XML, manuais de operação, artigos e publicações associadas ao projeto, dissertações e teses associados ao projeto, produtos desenvolvidos, documentação relativa ao depósito de patentes e qualquer outra documentação técnica produzida pela equipe durante a execução do projeto, comprovantes de todas as despesas realizadas e previstas no projeto, Time Sheet mensal da equipe de pesquisadores, planilhas dos REFPs em formato Excel, ofícios de comunicação entre CGTI e empresas cooperadas.