Equipe: CGTI  (Centro de Gestão de Tecnologia e Inovação), Termo Pernambuco, Quantum Comércio e Serviços de Tecnologia e Inovação e Itapebi Geração de Energia.

Desenvolvimento Experimental

Ideia: Uma solução eficaz para o desafio de evitar acidentes ambientais em locais com alto risco de vazamentos de óleo hidráulico e de difícil contenção.  

Solução: Desenvolvimento de um novo óleo hidráulico biodegradável a partir de resíduos industriais disponíveis e de ensaios e testes em mais de uma centena de composições e formulações, através dos insumos de maior potencial, com base nas especificações do lubrificante de base mineral VG  46 em uso nas comportas das UHE (Usinas Hidrelétricas).

Uma alternativa ambientalmente correta para evitar que o óleo hidráulico contamine cursos d’água de usinas geradoras de energia elétrica foi a substituição de óleos lubrificantes derivados do petróleo e não-biodegradáveis, em locais de difícil contenção de vazamentos, como nos equipamentos de acionamento de comportas.

Nesta fase, também foram realizados o levantamento e a escolha de óleos vegetais ou sintéticos não biodegradáveis nos mercados nacional e internacional, com características do VG  46 para servir de referência dos ensaios e testes.

  • Duas das formulações protótipos experimentais foram bem-sucedidas a nível laboratorial.
  • Pedido de registro de patente no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual).

 

Cabeça de Série

Principais resultados do projeto:

  • Licença de industrialização para a LU Laboratórios União para investimentos na linha de produção (reator customizado), linhas elétricas de alimentação da linha de produção, equipagem do laboratório químico;
  • As duas formulações que passaram pelos ensaios de biodegradabilidade atestada pelo Laboratório de Biotecnologia Industrial (LBI) do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) do Estado de São Paulo, de acordo com os requisitos dos manuais do IBAMA Manual de Testes para Avaliação da Eco toxicidade de Agentes Químicos do IBAMA, tinham como inovação insumos solúveis em água;
  • Os novos óleos biodegradáveis e solúveis com as mesmas características do óleo ISO VG 46 tiveram que passar também por testes comparativos de desempenho e repetitividade em modelos funcionais reduzidos de pistões hidráulicos;
  • Aprovação de número de Registro na ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), viabilizando a comercialização do novo óleo biodegradável;
  • O novo óleo tem aplicação em todos os sistemas de acionamentos de comportas e grades das usinas hidrelétricas e outros sistemas semelhantes. Na ocorrência de vazamentos, este óleo se dissolve instantaneamente na água, prevenindo acidentes ambientais e acelerando o processo de biodegradação para 45 dias.
  • Outra inovação é o insumo participante da formulação, advindo de subproduto da fabricação do biodiesel ou de qualquer gordura animal ou vegetal, a glicerina.

Inserção de mercado

  • Produto cadastrado no ANP e liberado para comercialização.
  • Os testes e ensaios avançados em laboratórios renomados geraram resultados positivos para garantir a aprovação do registro pela ANP do óleo hidráulico VG 46 biodegradável e solúvel. Sem este registro não seria possível a comercialização.
  • Novos óleos biodegradáveis foram desenvolvidos, mas nenhum solúvel em água e com menor custo, economizando divisas.
  • A utilização do novo óleo agrega à imagem positiva da empresa, com adoção de medidas sustentáveis para a preservação de recursos naturais
  • Atendimento a auditoria de Norma ISO 14000 – com aplicação nos sistemas hidráulicos de comportas e barragens e outros locais de contaminação no caso de derramamento de óleo.
  • Evita custos de multas e indenizações em decorrência de danos ambientais.